[Análise vol. 3] Koei Tecmo e seu apoio ao Nintendo Switch

[Análise vol. 3] Koei Tecmo e seu apoio ao Nintendo Switch

05/05/2018 2 Por Diiiih

Já falamos sobre o sucesso que o Switch fez no ano de 2017 e sobre o apoio geral das desenvolvedoras Third Party que o console vêm recebendo. Agora, vamos analisar um pouco mais a fundo o suporte das desenvolvedoras Third Party japonesas nesta terceira análise.

Enquanto os Nintendo DS e Nintendo 3DS foram abraçados pelas desenvolvedoras Third Japonesas, o último console de mesa da Nintendo a receber grande apoio havia sido o Game Cube. Claro, o Wii recebeu certo apoio sim, mas não como antes. Já no Wii U, a impressão que passou é que todas saíram correndo. Enquanto o Playstation 3 e até o Xbox Box 360 ganhavam suporte contínuo, o Wii U recebeu apenas alguns ports, como o de Warriors Orochi Hyper 3, da Koei Tecmo, e outros poucos jogos originais, como Sonic Lost World da Sega ou Rodea the Sky Soldier da Prope, publicado no ocidente pela NIS America.

Agora, com o Switch, a situação mudou e as desenvolvedoras voltaram a se reaproximar da Big N, talvez pela proposta híbrida do console, já que no Japão há uma certa preferência por portáteis, talvez por este estar tomando o lugar do PS Vita e lentamente substituindo o 3DS no mercado. Fato é que as desenvolvedoras voltaram.

Para falar de Third Party japonesa no Switch, nada mais justo que começar pela Koei Tecmo, que como um arauto do console, apostou alto e já no primeiro dia do Switch no mercado nos contemplou com Nobunaga’s Ambition: Sphere of Influence with Power-Up Kit, seguido por Romance of the Three Kingdoms XIII. A recepção para os jogos foi modesta, com Nobunaga vendendo apenas 2.285 unidades em sua primeira semana e acumulando um total de 29.821 unidades vendidas até a penúltima semana de dezembro, enquanto Romance of the Three Kingdoms por algum motivo não chegou a aparecer em nenhum registro, embora o jogo permaneça constantemente com poucas unidades em estoque na Amazon japonesa, o que certamente nos diz algo. Embora esses números pareçam poucos, vale ressaltar que a Koei Tecmo optou por uma aproximação diferente: enquanto certas desenvolvedoras esperam vender milhões em pouco tempo, a Koei vai construindo sua fã base na plataforma conforme lança os jogos de suas franquias.

O próximo jogo a ser lançado foi Nights of Azure 2, da Gust (subsidiária da Koei Tecmo), fazendo seu retorno em uma plataforma da Nintendo depois de muito tempo, vendendo 4.563 unidades no lançamento. Apesar de pouco, a franquia como um todo teve uma grande queda em vendas no Japão, e este encontrou boas vendas no ocidente, elevando a um total de 53.425 mil unidades vendidas até o momento. Em seguida, foram lançados no mesmo dia Champion Jockey Special e Winning Post 8 2017 que em suas semanas de estréia venderam 2.419 e 1.441 unidades respectivamente.

O próximo jogo seria a colaboração com a Nintendo, Fire Emblem Warriors, que obteve uma boa abertura para o gênero musou, vendendo 41.367 cópias na primeira semana. Baseado apenas nos números japoneses (que estão na casa das 76.291 cópias físicas vendidas), muitos consideraram o jogo um flop, uma falha, uma vez que este leva consigo um dos IPs de bastante sucesso da Nintendo no Japão, Fire Emblem. Entretanto, contrariando a todos, a Koei Tecmo anunciou em seu relatório fiscal anual em abril de 2018 que somando as versões de Switch e 3DS, Fire Emblem Warriors já havia enviado mais de 1 milhão de unidades. Em novembro daquele ano, tivemos ainda quatro novos jogos, sendo Warriors Orochi 3, Samurai Warriors: Sanada Maru e Dynasty Warriors 8: Empire, todos lançados no mesmo dia, e por fim, um novo jogo da franquia Nobunaga foi lançado, Nobunaga’s Ambition: Taishi, vendendo 5.531 em sua primeira semana, e em apenas 4 semanas já somando 11.508, mostrando uma grande melhoria em relação ao primeiro título (que demorou 7 meses para vender apenas quase dois terços a mais).

Finalizando 2017, a Gust lançou Atelier Lydie & Suelle: The Alchemists and the Mysterious Paintings, que abriu com 6.684 cópias na primeira semana. Pode parecer pouco, mas o presidente da Koei Tecmo disse em entrevista que as cópias físicas esgotaram nas lojas durante o fim do ano de 2017 devida a alta procura, fazendo com que subisse o número de vendas digitais do jogo no Nintendo Switch, e no relatório fiscal da companhia foi divulgado que somadas todas as versões, o jogo vendeu 150 mil cópias, ficando a par do que um jogo de Atelier costuma fazer (este número soma-se ao número de vendas no ocidente, que não foi divulgado).

Em 15 de março de 2018, a Koei Tecmo lançou Wining Post 8 2018, uma versão atualizada do jogo que havia lançado em setembro, movendo 2.688 cópias na primeira semana, significando um aumento nas vendas e reconfirmando a estratégia de construir uma fã base no console. No Japão, foram lançados ainda em março mais dois jogos: Hyrule Warriors: Definitive Edition, vendendo 24.908 cópias (este jogo só será lançado no ocidente em maio) e Attack on Titan 2 que vendeu 22.941 unidades em sua primeira semana. Para AOT2, apesar de as vendas da versão de Switch estarem virtualmente empatadas com as vendas de PlayStation 4, com cerca de 52 mil cópias vendidas até o momento, algo inédito aconteceu: a versão de Switch teve todas as cópias físicas vendidas, causando assim falta de estoque no mercado, enquanto as versões de PS4 e PS Vita tiveram dificuldades para vender, recebendo logo um grande desconto. Atualmente, a versão de PS4 ainda encontra-se com o primeiro envio a venda, enquanto a versão de Switch já está recebendo re-estoque. Isso aconteceu porque foram enviadas menos para as lojas unidades para a versão de Switch. Ao todo, a Koei Tecmo divulgou no relatório fiscal que somando as vendas mundiais, o jogo conseguiu vender 500 mil unidades em 1 mês.

Até o momento, o único lançamento futuro da Koei Tecmo previsto é Hyrule Warriors: Definitive Edition no ocidente. Fora isto, há o anúncio do desenvolvimento de Warriors Orochi 4, porém sem nenhuma plataforma anunciada. Como pudemos ver nesta análise, a Koei Tecmo tem sido uma grande apoiadora do Nintendo Switch, e está seguindo uma estratégia de construir audiência na plataforma, o que tem dado certo e de bônus, tivemos a inclusão dos jogos da Gust, que tradicionalmente iam apenas para as plataformas Playstation, o que tem sido uma ótima adição para a biblioteca do híbrido da Nintendo. Acompanhemos o desempenho da Koei Tecmo para o futuro, e vamos ver o que nos aguarda em relação a novos jogos.

 

** Os números citados terão como referência o Mediacreate, Famitsu, Dengeki ou o VG Chartz.