Diretor Criativo da SEGA fala sobre o que torna a Nintendo incrível, e as diferenças nas formas de fazer jogos da SEGA

Diretor Criativo da SEGA fala sobre o que torna a Nintendo incrível, e as diferenças nas formas de fazer jogos da SEGA

12/05/2019 0 Por

Toshihiro Nagoshi, o Diretor Criativo da SEGA, trabalhou em várias IPs de alto perfil ao longo de seu tempo na empresa. Nagoshi hoje em dia é conhecido pela série Yakuza, mas também criou Super Monkey Ball e até mesmo foi produtor de F-Zero GX.

Em entrevista à Famitsu , Nagoshi destacou as diferenças entre como a Nintendo e a SEGA fazem jogos. Nagoshi também fala no que ele sente ser tão surpreendente sobre a Nintendo.

Eles são tão diferentes?

Nagoshi: “Completamente diferente. Graças a isso, pude ver o que a Sega estava perdendo e também ver os pontos positivos da Sega. Embora se você tivesse que perguntar qual é a resposta certa, eu teria que dizer que não há resposta correta. Como esperado, ambas as empresas tinham sua própria cultura ”.

Para entrar em detalhes, o que foi tão surpreendente sobre a Nintendo?

Nagoshi: “Sua maneira de pensar em holística e versatilidade era sólida como uma rocha. Eles realmente não se importavam com “se as coisas tinham uma desculpa conveniente” ou não. Ser inclusivo para todos era algo já assumido desde o início, e isso era algo que estava gravado em pedra. Além disso, esse tipo de pensamento foi encontrado por todos, desde o alto escalão até os recém-chegados. Não foi apenas algo dito pelos superiores e nunca praticado. Sua união é incrível. Eu pensei: “Se eles têm esse tipo de pensamento, não é de admirar que a Sega não tenha conseguido vencê-los em hardware”.

Então, foi como “Como esperado da Nintendo”.

Nagoshi: “Em comparação com a Nintendo, a Sega é uma companhia mais“ chamativa ”. Mas como somos mais “chamativos”, somos capazes de ir a ideias com uma atitude mais leve. Se não tivéssemos esse tipo de atitude, não acho que teria conseguido continuar trabalhando aqui. Talvez se eu tivesse me juntado à Nintendo, eu teria deixado essa indústria há muito tempo. ”(Risos)

VIA