[Review] Destiny Connect Tick-Tock Travelers

Desenvolvedora: SYUPRO Nippon Ichi Software
Publicadora: NIS America
Gênero: RPG
Data de lançamento: 22 de outubro, 2019
Preço na eShop: US $ 39,99
Formato: Físico / Digital

Desenvolvido pela Nippon Ichi Software e SYUPRO, e publicado pela NIS America no Ocidente, Destiny Connect Tick-Tock Travelers é um RPG tradicional em 3D que foge dos padrões da própria empresa onde quem a acompanha está acostumado com algo mais simplificado em questões gráficas.

Este é mais uma das IPs anuais da Nippon Ichi Software que tenta trazer algo diferente seja em sua jogabilidade ou visuais para tentar ganhar público e consolidar a IP no mercado. Neste caso, Destiny Connect trás mais um diferencial no estilo gráfico do que pro lado da jogabilidade. Em minha análise, irei detalhar alguns elementos de gameplay que me chamou a atenção, bem como irei comentar sobre o visual do jogo.

Uma história que envolve máquinas e viagem no tempo…

O jogo conta a história de Sherry, uma garota curiosa, cheia de energia, porém as vezes emburrada. Em meio da comemoração de virada do ano na cidade Clocknee, de repente o tempo para e todas as pessoas em volta de Sherry e sua mãe acabam ficando congeladas. Para piorar, robôs acabam aparecendo do nada e atacam a cidade, fazendo que Sherry e sua mãe tenham que procurar por abrigo.

Um começo caótico e cheio de mistérios faz com que Sherry conheça Isaac, um robô criado especificamente para protegê-la, que mais tarde pode ser usado como uma máquina do tempo, sendo assim a ferramenta ideal para salvar os humanos deste fenômeno que os congelou. Mas Sherry não está sozinha nesta aventura, seu amigo medroso Pegreo, bem como outros habitantes que não foram afetados pelo congelamento irão ajudar a resolver este mistério. O dever de Sherry e seus amigos é voltar ao passado e tentar descobrir a causa deste fenômeno e, de alguma maneira, evitar que isto aconteça no futuro.

Resultado de imagem para destiny connect tick tock travelers

Bem, tentei resumir a história base do jogo e não jogar muito spoiler para quem estiver interessado em jogar. A história do jogo é rasa e bem previsível até, algumas vezes te solta algum mistério ou plot twists, mas nada tão “UAU!”, se eu posso dizer assim. Além disso, histórias com viagens no tempo geralmente bebem da mesma fonte para entregar uma boa narrativa que envolve o tema. Em Destiny Connect isso é aplicado de maneira bem menos explorada, e tão pouco se aprofunda no assunto como por exemplo as consequências de fazer algo no passado que possa alterar o futuro, isso quase não é tratado com seriedade.

Um RPG de turnos linear que não trás inovação

A NIS escolheu usar elementos de RPG de turnos, algo aproximado de Pokémon quando se trata de usar golpes específicos que são mais efetivos em certos inimigos e cause algum efeito adicional, bem como habilidades para aumentar status específicos de seus personagens ou lhe dar resistência a certos elementos. Para mim, foi uma escolha acertada, mas na execução não foge muito dos padrões como Pokémon e Shin Megami Tensei. Você também tem acesso a sua bag para usar itens para recuperar vida/SP, reviver aliados, aumentar status, e tirar efeitos negativos que podem ser convenientes.

Resultado de imagem para destiny connect tick tock travelers

Os aspectos da batalha não me incomoda tanto, eles funcionam bem até e pode gerar certos momentos que lhe fará pensar, a NIS não decepcionaria nisto. Mas há outros elementos na gameplay que são simplesmente desinteressantes como por exemplo as quests. Já irei adiantar aqui que o jogo é todo linear, você progride conforme avança a história, inclusive todo o tutorial é feito durante uma parte da história do jogo. Mas indo para o que me incomoda, é a tamanha facilidade de cumprir um objetivo no jogo, você entra em diálogo (que na maioria das vezes os personagens estão enrolando com expressões e frases clichês), no final dele você terá um objetivo cujo o caminho estará marcado no mapa, basta seguir a seta indicadora no mini mapa e pronto, você cumpriu seu dever em menos de 2 minutos – isso também se aplica a missões que você precisa coletar algo, onde o mini mapa estará mostrando até mesmo a localização exata do item.

O que senti falta também é o fator exploração e side quests. Você está em um ambiente 3D com locais para explorar e tudo que você vê são inimigos. A falta de side quests não me incomoda tanto, pois sei que se trata de algo mais puxado para a história. No entanto, em compensação, há funcionalidades de building um tanto interessante para Isaac onde você pode molda-lo de algumas formas e lhe dar certas aparências. Falando em aparências, Sherry também tem um closet cheio de roupas fofas para a personagem disponível logo de início.

Resultado de imagem para destiny connect tick tock travelers

Em resumo, Destiny Connect se baseia em mecânicas populares de RPG usadas ao longo dos anos e franquias populares, mas usa minimamente isso. Fora as batalhas como os inimigos e chefes (que por sinal são boa até), o jogo é praticamente você deslocar em um lugar especifico da cidade, conversar com alguém ou derrotar algum mid-boss e pular para o próximo capítulo. Apesar de ter algumas features, maior parte delas são dispensáveis, e a melhor e unica maneira de subir de nível é derrotando as maquinas que te atacam pela cidade.

Estilo gráfico

Apesar de ser uma desenvolvedora japonesa, a NIS optou por fazer um jogo mais puxado para o ocidental, não lembro de ter visto alguma referencia japonesa no jogo, apesar de ser um tema de fantasia. Posso estar enganada, mas é a primeira vez que vejo um jogo da NIS neste estilo 3D usando a UE4, o que por si só já chama atenção se por acaso você for um grande fã de seus trabalhos.

Enquanto eu jogava, o que vinha minha cabeça era que Destiny Connect parecia bastante com animações europeia do início dos anos 2000. O estilo artístico é no minimo questionável, dependendo de quem está jogando pode julgar ser um trabalho amador por se tratar de uma empresa que não demostra experiência em jogos 3D, ou apenas algo proposital para dar um ar de originalidade. No meu caso eu fico com a segunda opção, a NIS sempre tenta emplacar alguma nova IP em sua fanbase, todo ano ela nos entrega experiencias novas incluindo elementos de RPG, ou até fugindo do gênero como o jogo de terror live action Closed Nightmare. Então, Destiny Connect ganhou pontos comigo pela sua originalidade em entregar um RPG tradicional em aspectos não japonês, mesmo quando se trata de algo fantasioso.

Conclusão

Enredo fraco, história previsível, diálogos entediantes, e mecânicas básicas de RPG pouco exploradas fazem de Destiny Connect mais uma tentativa falha da NIS popularizar alguma nova IP em seu nicho e correr para o seu acolhedor Disgaea. Aliás, como eu gostaria que suas novas IP recebessem o mesmo tratamento de qualidade como Disgaea recebe. O jogo não é ruim, seus visuais lhe dão identidade e você se diverte jogando, mas sente que poderia ser melhor.

Destiny Connect Tick-Tock Travelers é uma experiência que eu recomendaria só se você já acompanha os trabalhos Nippon Ichi Software. Se você está interessado em algum RPG barato e bem feito, há outras opções no mercado, mas não brigaria com você se o achar com um bom desconto.

* Cópia para análise disponibilizada gentilmente pela NIS America *

Avaliação: 6 / 10

Significado das notas de 1 a 10

1 – Melhor vomitar do que jogar isso
3 – Vai fazer outra coisa.
5 – Só jogue se você for MUITO fã mesmo…
6 – Jogo legal pra se divertir e se distrair.
8 – jogo bom, vale bem seu tempo e dinheiro!
9 – Jogo excelente que vai deixar uma marca em você!
10 – Agulha no palheiro! Todo gamer precisa jogar essa gema maravilhosa!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *