Review | Cupid Parasite

Review | Cupid Parasite

01/11/2021 0 Por Gabriel

Desenvolvedora: Otomate
Publicadora: Idea Factory International
Data de lançamento: 2 de novembro, 2021
Preço: US $ 49,99
Formato: Digital / Físico

Análise feita no Nintendo Switch com chave fornecida gentilmente pela Idea Factory International.

From the first encounter to the final vows…

Com esse slogan que captura muito bem a essência dessa aventura, iniciamos nossa jornada por esse encantadora e chamativa obra que é Cupid Parasite!

Sendo desenvolvido pela veterana de Otome Games Otomate e distribuído pela Idea Factory International na América do Norte e Europa, Cupid Parasite traz uma versão mais alegre e convidativa do que estamos acostumados a ver no gênero. Além disso contando com uma forte lore explicada com bastante dinamismo, esse obra transmite muito mais do que era dever dela.

Nota: Gostaria de lembrar também que, alguns spoilers irão ser necessários para está análise, porém irei me abster em comentar os conceitos mais iniciais e evitar spoilers além do primeiro capítulo.

A lenda de uma Deusa

Por mais inofensiva que a trama pareça no começo, é disso que ela se trata.

A protagonista, que eu apelidei de Gabe (as vantagens de usar um apelido que não está associado a um gênero especifico), começa a trama se apresentando como uma entusiasmada e muito dedicada casamenteira. Seu sonho, é se tornar a melhor casamenteira de sua companhia — a Cupid Corporations. Para tal, seu chefe (que por acaso é uma das opções românticas no game) oferece um desafio para ela: a personagem deve conseguir resolver os casos mais difíceis que essa agência já encontrou.

Conhecidos como Parasite 5, cada um dos personagens tem algum defeito irreparável e que o impossibilita de encontrar a parceira desejada. A protagonista aceita e a partir dai nossa trama é concebida. O grande diferencial dessa história, é que a partir dai nossa personagem revela quem ela realmente é, e as motivações de seus objetivos. Ela na verdade se trata da Deusa Cúpido da mitologia romana. Com isso seu grande dever desde o inicio dos tempos era fazer com que as pessoas se apaixonassem.

Isso dito, conforme os séculos foram avançando, as pessoas tinham cada vez menos a tendência de se casar, e quando o faziam muito facilmente se divorciavam. Embora a deusa do casamento fosse Juno e não Cúpido, a fúria de seu pai Marte recaiu sobre a mesma injustamente. Perdida e com a sensação da injustiça, Cúpido começou a conhecer e tentar entender mais da cultura humana ao lado de sua tia Minerva.

Em meio a essa confusão, ela entendeu que já não era mais necessária para o mundo atual. Os humanos por si só eram capazes de escolher genuinamente quem iam amar, além de contarem com poderosos e admiráveis recursos como casamenteiras e psicologia. Por isso quando novamente confrontada por seu pai sobre a taxa da casamentos e sobre sua própria desmotivação ao concluir o trabalho, Cúpido contou entusiasmada suas novas descobertas, no entanto seu pai cabeça dura repudiou seu pensamento, garantindo que os humanos não são nada sem os deuses.

Então Cúpido se rebelou e em desafio afirmou que se tornaria humana e conseguiria criar melhor resultados através do seu trabalho honesto do que de suas flechas mágicas. Garantiu também que se tornaria a melhor casamenteira do mundo. Mesmo contra a vontade de seu pai, cúpido então partiu para a terra, foragida com a ajuda de sua tia, determinada a cumprir sua promessa.

Parasite 5

Como sempre um dos principais atrativos nessas obras são as rotas românticas. Nesse caso temos os cinco membros do “Parasite 5” nesse papel. Aqui irei introduzir cada um dos rapazes e explicar a ordem das rotas:

O caso número um, nomeado de Parasite Apaixonado em tradução livre, trata-se de Gill Lovecraft. O jovem tem como seu defeito uma paixão antiga mal sucedida da qual não consegue se livrar o que acaba de um jeito ou de outro, minando todas as suas relações. Como é revelado pouco tempo após o inicio da trama, essa paixão é pela sua personagem que dividiu quarto com Gill durante a faculdade. O personagem encara o estereotipo do namorado bondoso e amoroso, e é uma escolha segura para quase qualquer jogador.


O caso 2, Shelby Snail, é seu chefe. Além de não estar interessado exatamente em um romance e sim em manter a imagem de um marido dedicado que beneficia a empresa, o personagem tem como seu defeito a buscar por um parceiro através apenas do status social. Embora queira apenas alguém que mantenha seus status SS, como ele mesmo diz, seu charme ambicioso e focado pode alcançar muitos.



O terceiro parasite é Raul Aconite. Além de muito bonito, Raul é um ator muito famoso por isso é em tese fácil para conseguir uma parceira. Apesar disso o ator não tem interesse em casar, apenas quer conhecer mais sobre o amor para um papel a pedido de seu assessor. Isso no entanto nem é seu defeito, seu problema é na verdade a obsessão por mitologia que o impede de ter interesse ou conseguir desenvolver conversas sobre outros assuntos.

A parte mais divertida dessa rota é a relação do background da protagonista com a paixão de Raul pelo tema, bem como as expectativas baseadas nas histórias mortais dos deuses em contraste com o verdadeiro comportamento desses. A rota de Raul só pode ser completada após uma das 3 rotas disponíveis no começo serem completadas (Gill, Shelby e Ryuki).


Ryuki F. Keissain é o parasite do Glamour, na minha opinião o menos interessante do cast. O problema dele se resume a ser obcecado por beleza e constantemente maltratar pessoas dependendo da nota mental que faz em relação a aparência da mesma.


O ultimo caso parasite é Allan Melville. Seu caso é mostrado de inicio como o do ladrão de mulheres, já que ele só se interessa por mulheres casadas. Pouco adiante no entanto é revelado a realidade sobre o personagem, o fato dele ser um Incubus que se alimenta de energia vital.

Acho a existência desse personagem muito interessante, pois teria sido uma baita chance jogada fora ter deixado todos os possíveis parceiros humanos em um mundo aonde a mitologia é real por definição. Além disso a execução do personagem como misterioso e bad boy é excelente. Lembrando que para concluir essa rota é necessário passar por uma das três rotas liberadas de inicio.



Cores e aconchego

É impossível passar pela experiência de Cupid Parasite sem se encantar (ou pelo menos perceber) a fortíssima escolha de estilo artístico dessa obra.

Os cenários são todos coloridos e exuberantes ao máximo fazendo com que nossa protagonista deusa de cabelo rosa pareça bastante natural. As escolhas de design dos personagens principais também correspondem a isso. Isso no entanto não deixa o jogo cansativo, já que as cores são cuidadosamente selecionadas para serem agradáveis e não chocantes. A ousadia de escolher um estilo tão colorido e o cuidado de fazer isso funcionar eleva Cupid Parasite a outro patamar.

A trilha sonora também é extremamente funcional e alegre, sinergizando muito bem com o mundo em questão. O jogo todo tem como inspirações comedias românticas ocidentais e todos esses reflexos de estilo artístico representam um visão bem exagerado e bem vinda deles.

Embarque nessa aventura ao mesmo tempo divina e intimista

Cupid Parasite tem tudo que precisa para ser uma boa história, e de fato consegue isso com um bom ritmo narrativo. A lore desse mundo nos é passado de maneira leve e divertida e não com longas seções de explicação maçante, como ocasionalmente ocorre.

Os personagens são todos interessantes, no entanto em algumas cenas de grupo as interações acabam sendo repetitivas já que sempre temos que focar nos defeitos dele como parasites. Mas mesmo que em algum momento no começo do jogo isso seja um problema, os personagens ganham boas evoluções no desenrolar da trama que como dito anteriormente, tem um ritmo bom no geral. As rotas são bastante diversas entre si e contam histórias bastante diferentes, tornando o jogo muito cheio de conteúdo ao todo, incluindo ainda algumas rotas extras que podem ser desbloqueadas (recomendo o guia de rotas do Otomices para mais detalhes).

De qualquer forma, seja qual for seu gosto para rapazes, sei que Cupid Parasite é um prato cheio e realmente recomendo esse jogo, principalmente para iniciantes já que aqui os estereótipos estão mais conservadores e as referencias ocidentais convidativas para aqueles com pouco contato com o gênero.

Prós:

  • Bom ritmo narrativo
  • Direção de arte ousada e no ponto
  • Ótima diversificação de rotas e muito conteúdo

Contras:

  • Interações repetitivas ocasionalmente devido ao foco nos defeitos dos parasites.

Nota Final:

8.5

Gabriel