Retroboy – Strike Gunner STG

Retroboy – Strike Gunner STG

22/08/2017 Off Por

(SNES/Arcade)

Nos dias de hoje, com a internet disponível para todos os gamers, é muito fácil conhecer os jogos, as tendências, saber dos lançamentos, comprar jogos até mesmo em pré-venda. Tudo isso é feito sem sair de casa, os jogos são baixados diretamente para os consoles oriundos de vastas bibliotecas disponíveis. Para quem cresceu nos anos 80 e 90, ou até mesmo no início dos anos 2000, isso não era nem sequer imaginável.

Os jovens jogadores faziam uso das revistas de games, extraíam informações de amigos, mas em grande parte dos casos era nas locadoras onde a magia acontecia. A personalidade gamer daquelas crianças, hoje adultos e pais de família, era moldada pelos jogos disponíveis nessas lojas, que nem sempre acompanhavam as tendências mundiais, seja pelo alto preço dos lançamentos, pela dificuldade em comprar e importar os jogos, ou até mesmo pela estratégia nintendista de “escassez controlada” que fazia com que a demanda pelos jogos recém-lançados permanecesse alta, mas fazendo com que os mais procurados estivessem sempre em falta.

Foi então, por estarem limitados aos títulos que suas locadoras favoritas possuíam, ou até mesmo do cartucho pretendido não ter sido alugado por outro cliente, que os jogos menos populares acabavam se difundindo. Temos por exemplo o celebrado jogo de corrida Top Gear, que só é considerado um clássico no Brasil.

E foi assim, que por acaso acabei alugando STRIKE GUNNER (S.T.G), que eu chamava simplesmente de STG. Provavelmente porque Mario Kart e Contra estavam alugados, acabei conhecendo um dos meus jogos favoritos da era 8-Bits.

Screen Shot 08-22-17 at 07.02 PM 001 (2)

O jogo

Strike Gunner STG é um clássico jogo de naves em estilo “shooter”, com rolagem vertical que foi lançado no ano de 1991 para os arcades e no ano seguinte portado para o Super Nintendo (Super Famicom). O jogo foi desenvolvido pela japonesa Athena que, pelo menos aqui no ocidente, nunca chegou a emplacar um grande sucesso, mas trouxe ao mercado STG, apenas 7 meses após o lançamento do console.

Da mesma forma que os jogos similares, como Sonic Wings (Aero Fighters), o jogador controla uma nave e deve eliminar os inimigos da tela, recebendo evoluções para sua arma básica, que passa a causar mais dano e atingir uma área maior, conforme o laser passa da cor vermelha para a azul. Essas cores também representam os dois caças do jogo, que não tem quaisquer diferenças entre si, quanto à jogabilidade.

O grande diferencial de STG, é que diferentemente dos seus concorrentes, esse conta com armas especiais para cada uma das Strike Gunners, nome dado às naves controladas pelo jogador. No início de cada fase, o jogador pode escolher uma entre as 15 armas disponíveis (8 no arcade), que vão desde pequenos mísseis, raio laser, campo de força, até mesmo uma ogiva nuclear. Com um misto de armas de defesa e de ataque, o jogo requer um toque de estratégia, pois cada uma dessas armas especiais podem ser usadas em apenas um estágio do jogo, ficando indisponíveis nas demais fases.

A estratégia se torna mais fundamental na parte que, pelo menos para mim, é a mais divertida: o multiplayer co-op. O jogador 1 controla Jane Sinclair, da Strike Gunner vermelha, enquanto seu parceiro azul é Mark McKenzie, e ambos, além de suas armas especiais, podem ainda unir suas naves, no melhor estilo Megazord, e formar uma só estrutura, com disparos laterais, além do frontal tradicional. Isso traz uma nova ferramenta ao jogo, diferenciando-o bastante dos demais.

Soundtrack

A trilha sonora do jogo, que foi lançado nos primórdios da vida útil do Snes, é um tanto repetitiva mas não chega a ser enjoativa. Composta de 10 faixas, provavelmente vai ser lembrada por muito tempo depois do console ser desligado. Sons de guitarra, teclado e bateria embalam as Strike Gunner ao longo das 8 fases, que começam no coração da selva amazônica e culminando nas entranhas de uma nave-mãe alienígena.

STG recebeu muito menos atenção do que deveria em sua época, seja pela grande concorrência dos jogos estilo “shooter”, seja por ter sido lançada por uma empresa pequena, mas o fato é que se trata de um jogo com algumas características únicas que por si só já valem algumas horas de jogatina.