[Análise] Switch: De D.O.A. (morto ao chegar) ao sucesso. Uma história de recordes pós recordes

[Análise] Switch: De D.O.A. (morto ao chegar) ao sucesso. Uma história de recordes pós recordes

25/04/2018 1 Por

Quando foi mostrado ao mundo pela primeira vez através de um teaser em outubro de 2016, o Nintendo Switch rapidamente chamou a atenção de todos, tendo seu trailer contabilizado mais de 20 milhões de visualizações em poucos dias, com pessoas ávidas para saber mais do que se tratava o novo console. Como nem tudo são flores houve também muitos que torciam contra e contavam o Nintendo Switch como um “Wii U 2.0”.

Veio a apresentação completa do console, explorando suas particularidades e sua line up para o primeiro ano, através de um evento realizado pela Nintendo diretamente do Japão, onde o foi apresentado fatos importantes como o preço e algo até então inédito que há gerações não ocorria com um console de mesa da Nintendo: o Switch seria livre de travas de região.

Devido a rumores que circulavam durante o final de 2016, alimentadas por “fontes internas” já conhecidas da indústria, muitos ficaram decepcionados com o preço de $300, pois acreditavam que, de acordo com o rumor, o console custaria $250. Algo considerado um passo ousado por parte da Nintendo também foi feito: Em algum momento de 2018 será implementado um sistema online com planos pagos. Algo até então inédito.

Com o lançamento do console em 03 de março de 2017, todas as expectativas foram ultrapassadas. A Nintendo projetava vender cerca de 2 milhões de unidades naquele mês, porém vendeu quase 3 milhões de consoles, e logo a demanda estava tão alta que uma onda de falta de estoque cairia sobre o Switch e perduraria até os dias de hoje.

As vendas do Nintendo Switch ficaram acima da expectativa num todo. De início, a Nintendo previa enviar 8 milhões de consoles para as lojas até o final de seu ano fiscal (que termina em março de 2018), porém fez uma revisão e aumentou este número para 10 milhões (esse número pulou para quase 15 milhões de vendas até o dia 31 de dezembro de 2017). Após um sucesso contínuo e estrondoso, a Nintendo teve de rever sua meta, aumentando ainda mais as projeções. De fato, o Switch está vendendo mais até que o próprio Nintendo Wii, o maior sucesso da Big N até hoje em consoles de mesa, quando alinhados os lançamentos.

Para ter uma ideia do sucesso que o Switch vem fazendo, vamos analisar as declarações feitas pela Nintendo:

Ao final de dezembro, a Nintendo da América reportou que nos Estados Unidos já havia vendido mais de 4.8 milhões de unidades do console. No Canadá, embora números não tenham sido revelados, foi dito que o Switch é o console que vendeu mais rápido até agora, ultrapassando o ritmo de vendas do Nintendo Wii.

Europa, um mercado tradicionalmente mais difícil para a Nintendo, também vem abraçando a ideia:

Na França, o Switch havia vendido 400 mil unidades até outubro e a subsidiária francesa estimava vender mais 400 mil até março, porém a surpresa veio ao final de dezembro quando a mesma divulgou que já havia vendido mais de 900 mil unidades, ultrapassando as vendas do Wii U em todo o seu período de vida.

Outros recordes de vendas vieram. Na Alemanha, o Switch já vendeu mais de 600 mil unidades. Na Itália, embora os números não tenham sido revelados, foi relatado que o híbrido também está vendendo mais rápido que o Wii.

Outros dados de sucesso também foram divulgados em relação a Espanha, onde o console segue vendendo mais rápido que o Wii, conseguindo vender mais de 300 mil unidades até o fim de 2017. Portugal, onde o Switch em apenas 10 meses vendeu mais que todo o período de vida do Wii U,com mais de 20 mil unidades vendidas (este número pode parecer pouco, porém o mercado de consoles Português é muito pequeno, e tenha em mente que o Switch vendeu em 10 meses o que o Wii U levou 5 anos para atingir). Já no mercado mais difícil de todos para a Nintendo, o Reino Unido, a Nintendo já havia vendido mais de 300 mil unidades do console com lançamento de Super Mario Odyssey, quando o console ganhou um grande boost em vendas.

Sobre o cenário asiático, o Nintendo Switch fez sua estreia na Coréia do Sul em dezembro, vendendo 55 mil unidades em 3 dias, e 110 mil ao final do mês. Para por em perspectiva, os consoles mais vendidos naquele país foram o Playstation 2, o Wii e o Nintendo DS, os únicos consoles que venderam pouco mais de 1 milhão de unidades lá. Portanto, o Switch já fez cerca de 10% deste número em apenas 1 mês!

Por fim, temos o Japão, onde o console tem sido um fenômeno, e apesar de sofrer severa falta de estoque desde seu lançamento, o Switch foi capaz de vender a incrível quantidade de mais de 3.3 milhões até dezembro, ultrapassando as vendas totais do Wii U, em apenas dez meses no mercado, atualmente já constando acima de 4 milhões de consoles vendidos!

No total, um analista americano estimou que o Nintendo Switch teve enviados cerca de 15 milhões de consoles durante 2017, o colocando como a 5ª nova tecnologia mais vendida daquele ano.

Como conclusão, podemos dizer que o Nintendo Switch é o console que finalmente tirou a Big N das sombras e a trouxe novamente para os holofotes, algo que não acontecia a cerca de 6 anos!