Nintendo vence processo judicial no Reino Unido contra sites de pirataria de jogos de Nintendo Switch

Nintendo vence processo judicial no Reino Unido contra sites de pirataria de jogos de Nintendo Switch

10/09/2019 0 Por CellyDiva

E a Nintendo mais uma vez conseguiu uma grande vitória contra a pirataria de seus jogos!

Graças a uma nova liminar, os sites Sky, BT, EE, Talktalk e Virgin Media agora serão forçados a “bloquear ou pelo menos impedir o acesso” seus sites que ajudam a distribuir jogos piratas, hardware modificado ou informações sobre como modificar consoles relacionados à pirataria.

O próprio Nintendo Switch abriu as portas para o firmware personalizado inicialmente. Mesmo que essa brecha tenha já tenha sido fechada, a Nintendo disse que as pessoas ainda estão tentando invadir o software atual do console.

O tribunal concordou que certos sites haviam infringido as marcas registradas da Nintendo. Também não há defesa legal para modificação do hardware do Nintendo Switch para permitir a pirataria. A Nintendo disse em comunicado à Eurogamer hoje:

Hoje, o Supremo Tribunal do Reino Unido considerou ilegal a venda e distribuição de dispositivos de ‘evasão’ para o Nintendo Switch. A Nintendo está satisfeita com o fato de o Tribunal Superior do Reino Unido ter confirmado que negociar em dispositivos ou software que permitem pirataria nos sistemas Nintendo Switch é ilegal. Essa decisão ajudará a proteger a indústria de jogos do Reino Unido e os mais de 1800 desenvolvedores em todo o mundo que criam jogos para a plataforma Nintendo Switch, e que dependem de vendas legítimas de jogos para sua subsistência e para continuar trazendo conteúdo de qualidade para os jogadores.

A UKIE, o órgão da indústria de videogames do Reino Unido, também forneceu a seguinte declaração em relação ao assunto:

Esses dispositivos de evasão, que permitem o uso de cópias não autorizadas de videogame, comprometem os negócios daqueles que defendem e dependem da venda de produtos legítimos. Como tal, a UKIE apóia totalmente a decisão e deseja reiterar a forte posição da indústria de videogames do Reino Unido contra operadores ilegítimos. O caso representa um dos múltiplos esforços da indústria para impedir que os maus atores violem e explorem os direitos de propriedade intelectual associados aos jogos.