CyberConnect2 fala sobre a possibilidade de um remake do RPG cult de Nintendo DS Solatorobo: Red the Hunter

CyberConnect2 fala sobre a possibilidade de um remake do RPG cult de Nintendo DS Solatorobo: Red the Hunter

07/12/2019 0 Por CellyDiva

Solatorobo: Red the Hunter é um RPG de ação desenvolvido pela CyberConnect2 e lançado originalmente para o Nintendo DS em 2010. O jogo faz parte da série Little Tail Bronx do estúdio.

Durante uma sessão de perguntas e respostas dos fãs hoje, o chefe de CyberConnect2, Hiroshi Matsuyama, abordou a possibilidade de um remake deste clássico cult. Deixaremos abaixo o que Matsuyama tinha a dizer sobre o assunto:

Claro, a possibilidade está aí. Como você sabe, Solaroboto foi um jogo lançado exclusivamente no Nintendo DS. Vocês todos se lembram, certo? Nintendo DS tinha duas telas. A tela superior era a tela de reprodução e a inferior, um painel de toque.

No lado operacional, será bastante difícil portar o jogo sem um hardware que suporte esse sistema. É possível reconstruir o sistema de painel de toque do Solatorobo e integrar a tela inferior em uma única tela, mas seria necessário um remake completo. Eu sinto que isso traria seu próprio conjunto de dificuldades.

Solatorobo foi lançado no Japão, EUA, Europa e Ásia em 2010, publicado pela Bandai Namco (no Japão e na Europa), mas em termos de vendas, não foi extraordinariamente alto. Vendemos cerca de 100.000 cópias em todo o mundo. Com base nisso, se remasterizamos ou refazemos o jogo, quantas cópias podemos vender? Quanto orçamento devemos alocar para o desenvolvimento dessas vendas projetadas? Se fizéssemos um port simples e a distribuíssemos como uma versão para download, ela perderia um pouco da experiência original pretendida.

Pessoalmente, acho que, não apenas pelo nosso título Solatorobo, mas também por muitos outros jogos criados para o Nintendo DS e 3DS, muitos de nós gostariam de relançar, seja apenas uma versão para download, um HD remasterizado versão desses jogos, para que nossos clientes atuais possam brincar com nossas propriedades passadas, mas, no momento, não acho que o setor ainda esteja buscando esse objetivo. Se tivéssemos que refazer Solatorobo, começaríamos do zero.

FONTE