Produtor de Paper Mario: The Origami King diz estar mais interessado em experimentar novas mecânicas do que confiar em sistemas de jogabilidade familiares

Produtor de Paper Mario: The Origami King diz estar mais interessado em experimentar novas mecânicas do que confiar em sistemas de jogabilidade familiares

30/06/2020 0 Por CellyDiva

Após Paper Mario do Nintendo 64 e Paper Mario: The Thousand-Year Door de GameCube, a Intelligent Systems vem explorando outras mecânicas de gameplay em cima dos elementos de RPG já estabelecidos nos primeiros jogos. Os últimos títulos da série andam tomando direções diferentes não agrandando grande parte da fanbase de Paper Mario. A maioria diria que o ponto mais baixo da série foi com Paper Mario: Sticker Star, que enfatizou as batalhas e apresentou um sistema de adesivos descartáveis para utilizar dentro ou fora das batalhas.

A Nintendo e seu estúdio responsável pela série Paper Mario, a Intelligent Systems, estão agora dando uma nova chance com Paper Mario com The Origami King, que chega ao Nintendo Switch em 17 de julho. O novo jogo mais uma vez arriscará trazendo um novo sistema de batalhas baseados em anéis.

Em uma entrevista paraGame Informer, o produtor Kensuke Tanabe, indicou que está mais interessado em experimentar novas idéias do que em confiar em sistemas de jogabilidade familiares. Aqui está o que ele tem a dizer sobre isso:

Ao continuar uma série de jogos, é muito mais fácil recuperar o básico de um sistema de jogo existente, em vez de criar novos sistemas para cada nova sequência. Mas não é assim que você cria novas experiências ou surpresas inesperadas. Como designer de jogos, quero oferecer novas experiências e surpresas aos nossos fãs, por isso sempre me desafio a criar algo novo. Para ter certeza, às vezes usarei o mesmo sistema em um jogo subsequente para desenvolver ainda mais esse sistema, até sentir que ele atingiu todo o seu potencial. Mas meu objetivo é continuar enfrentando novos desafios o máximo possível.

Ainda na entrevista, Tanabe acrescentou:

Nunca consideramos se devemos ou não implementar um sistema baseado em Party como alguns outros jogos. Enquanto trabalhamos em Paper Mario: The Origami King, decidimos criar momentos mais memoráveis se Olivia e os outros personagens se unissem a Mario pelo caminho. Em outras palavras, primeiro determinamos quais elementos são necessários em um jogo e depois descobrimos como implementá-los e programá-los. Bobby, o Bob-omb, foi o primeiro personagem que decidimos incluir e, a partir daí, escolhemos os personagens que seriam os mais adequados para os eventos em cada etapa do jogo. Bowser Jr. foi uma exceção. O diretor, Sr. Masahiko Nagaya, pessoalmente tinha fortes sentimentos em incluir uma história em que um filho se propõe a salvar seu pai; portanto, nesse caso, decidimos incluir o personagem antes de decidir exatamente o que ele faria.