Diretor de Burnout Paradise Remastered diz que embora tenha chegado mais tarde, o jogo já estava nos planos desde o início para o Switch; Fala da importância de manter o jogo a 60 FPS

Diretor de Burnout Paradise Remastered diz que embora tenha chegado mais tarde, o jogo já estava nos planos desde o início para o Switch; Fala da importância de manter o jogo a 60 FPS

22/08/2020 0 Por

Burnout Paradise Remastered foi uma agradável surpresa da EA para os donos de Switch, embora tenha chegado só dois anos após seu lançamento inicial no PS4, Xbox One e PC. Apesar da demora, a verdade é que a EA já estava planejando sua vindo para o híbrido desde o início de seu desenvolvimento.

Em entrevista para o site Nintendo Everything, Chris Roberts, o diretor criativo da Stellar Entertainment – o estúdio por trás do port para o Switch – disse que embora Burnout Paradise Remastered tenha chegado ao console da Nintendo muito mais tarde, foi na verdade algo que a equipe discutiu durante os primeiros dias do projeto.

A versão de Switch foi algo sobre o qual falamos quando estávamos fazendo as outras plataformas, mas estávamos esperando o momento certo para fazê-lo. O desenvolvimento começou depois que finalizamos as outras plataformas com uma equipe dedicada para que pudéssemos tornar a experiência o mais boa possível no Switch.

Mesmo que Burnout Paradise Remastered no Switch seja inferior em alguns aspectos visuais comparado às outras versões, Roberts explica que precisava encontrar o equilíbrio da fidelidade visual enquanto mantém o desempenho, bem como a importância de atingir 60 FPS.

A palavra-chave aí é equilíbrio, a regra número um é que se não for 60 FPS, não é Burnout. Você adere a isso e o resto é construído em torno disso e fazendo as escolhas certas sobre o que constitui o melhor visual para acompanhar. Trabalhamos muito para não comprometer a qualidade da versão do Switch e manter coisas como as novas técnicas de renderização que desenvolvemos para a remasterização em outras plataformas.