RetroBoy – Rock n’ Roll Racing

RetroBoy – Rock n’ Roll Racing

01/08/2017 Off Por Diiiih

(SNES/Super Famicom, Mega Drive/Genesis e GBA)

O jogo Rock n’ Roll Racing, lançado em 1993 pela Interplay Entertainment, e produzido pela developer Silicon & Synapse, que mais tarde se tornaria a gigante Blizzard Entertainment, se enquadra em uma categoria muito particular de jogos, muito popular nos anos 90 e início dos anos 2000, os jogos de combate veicular (vehicular combat games). O game, desenvolvido pela criadora de jogos como Warcraft, Starcraft, Overwatch e Diablo, é um perfeito exemplo do gênero de combate de carros, e foi um dos primeiros a fazer grande sucesso, compartilhado também por outros lançamentos icônicos, como Super Mario Kart e Esquadrão Marte (Biker Mice from Mars), lançados na mesma época.

Gameplay

O sistema de jogo é simples e, apesar de utilizar todos os botões dos joysticks de todas as plataformas, baseia-se apenas na aceleração, frenagem, e disparo das armas primária e secundária. As corridas possuem 4 competidores, sendo que um ou dois seriam os jogadores, e o objetivo é obter o máximo de pontos ao longo de 8 etapas, para poder comprar a passagem de nave para os próximos mundos, com 8 pistas cada um também. Além dos pontos, o jogador recebe dinheiro, que pode ser utilizado para dar “upgrades” em seu veículo, melhorando seu motor, blindagem, ou até mesmo comprando mais armas para destruir e atrapalhar seus oponentes.

A mecânica de jogo, e a dirigibilidade dos carros pode parecer estranha em um primeiro momento, devido ao ponto de vista do observador, baseado em uma perspectiva isométrica, mas em poucos minutos de jogo os players já podem estar dominando suas máquinas habilmente.

Trilha sonora (soundtrack)

Um dos pontos altos, talvez o responsável pela eternização da personalidade desse clássico, é sua trilha sonora. Rock n’ Roll Racing foi originalmente concebido em um projeto para ser a continuação do jogo RPM Racing, da biblioteca do SNES, mas como uma jogada de marketing, a desenvolvedora resolveu adicionar algumas músicas licenciadas e lançá-lo com o nome de Rock n’ Roll Racing, em vez de RPM II. A decisão foi muito acertada, e até hoje, fãs saudosos referem-se à trilha desse jogo como uma das melhores da era 8-bits. O acervo, seguindo o título do game, trazia títulos de rock pesado que criava a atmosfera do jogo e embalava a destruição dos veículos, diferenciando-o de seus concorrentes do mercado da época. Artistas como Black Sabbath, Deep Purple e Steppenwolf compõem a trilha do jogo que, embora diminuta, não parece repetitiva, e definiu o gosto de muitos jogadores pelo bom e velho Rock n’ Roll.

Plataformas

O jogo foi lançado para Super Nintendo (Super Famicom), Mega Drive (Genesis) e GBA, e nas três versões com gráficos muito bons e parecidos, mas a versão mais popular e conhecida foi a do SNES. Ainda que o jogo tenha recebido uma música extra no Mega, Radar Love da banda Golden Earring (que mais tarde apareceria no jogo Guitar Hero Encore: rock the 80s), a qualidade do som do Genesis era muito inferior, deixando a desejar um pouco em um game onde o ponto alto é sua música. O narrador, do jogo, com sua voz característica, e comentários divertidos, é uma grande adição à trilha, mas também no caso do Genesis, tem sua performance prejudicada, pois cada vez que faz um comentário, a música de fundo reduz de volume.

Mas a verdade é que, não importa a plataforma, ou mesmo o emulador, Rock n’ Roll Racing é um dos jogos mais imperdíveis de sua geração, e seja no multiplayer, ou jogando sozinho, é uma jogo que vale a pena ser conhecido.