RetroBoy | Super Mario Bros.: Uma viagem temporal pelo Reino do Cogumelo

RetroBoy | Super Mario Bros.: Uma viagem temporal pelo Reino do Cogumelo

12/12/2020 0 Por Guilherme Morando

Olá! Está é a minha primeira vez aqui no RetroBoy, quadro do site dedicado a falar de jogos retrô nas plataformas da Nintendo. Bem, para começar irei falar da franquia que melhor representa a Nintendo, a série Super Mario Bros. Eu sei que textos sobre Super Mario tem aos montes pela internet, mas acho que é praticamente impossível a gente estar falando de jogos retrô aqui no site sem citar o encanador bigodudo mais conhecido do mundo inteiro – já que no momento em que escrevo este texto não há qualquer RetroBoy dedicado à franquia.

Mario é um dos personagens mais icônicos dos videogames, se não o mais popular entre eles. Mas por que um baixinho bigududo que fala italiano e desce em canos faz tanto sucesso? Caso seja jovem o suficiente para não conhecer seu legado, irei esclarecer essa e muitas outras dúvidas através de uma viagem no tempo, onde iremos relembrar seu início no mundo dos videogames, e juntos, conhecer melhor a série de jogos do Super Mario.

Então já separa sua pipoca aí, que a viagrm está apenas começando!

Super Mario Bros.

Pousando temporalmente em 1985, Super Mario Bros. é o clássico jogo de plataforma lançado para o Nintendo Entertainment System – ou como muitos já conhecem, o NES – o aparelho que praticamente se responsabilizou pela recriação do conceito videogame. Para sabermos melhor como funcionava o clássico jogo de plataforma da Nintendo, primeiro preciso que entendam as especificações do console em que ele se originou.

Nintendo Entertainment System / NES

  • Bits: 8 bits.
  • CPU: 6502 NMOS (1.79MHz)
  • RAM: 2KB (16Kb), 2KB Video RAM.
  • Cores: 52 (24 na tela)
  • Sprites:
  • Tamanho do Sprite: 8×16 pixels.
  • Resolução: 256×240 pixels.
  • Som: PSG audio

Comparado com a tecnologia de hoje, ele não parece algo tão potente, certo? Porém para a época já se tratava de algo extremamente podoreso se colocarmos ao lado de seus respectivos rivais. O console apareceu pela primeira vez em 1985 nos EUA, com sua distribuição oficial no Brasil apenas em 1994. E adivinha só, quem mais chegou em 1985? O nosso herói Mario, já em seu próprio jogo dedicado ao console : Super Mario Bos. – lembrando que Mario já estreou anteriormente nos Arcades em 1983 com Mario Bros , mas aqui estamos falando de seu legado nos consoles.


É claro, estamos aqui para enaltecer o personagem principal junto de seu jogo lançado no NES. O clássico Super Mario Bros. em si era um jogo simples, ele possuia aspectos em 2D com gráficos em 8 bits, e foi ele quem moldou os padrões do gênero de jogo plataforma que hoje conhecemos, onde um personagem pula num cenário de duas dimensões enquanto desvia de inimigos e enfrenta chefes.

Foto retirada de dentro do jogo


Embora Mario já tenha aparecido em jogos anteriores, como em Donkey Kong e Mario Bros. do arcade, podemos dizer que os jogos do NES foram o inicio de tudo e o que mais marcou os fãs. É em Super Mario Bros. que temos a icônica música chiclete do Mario que se repete de tempos em tempos só para lembrarmos de suas origens. Acho
incrível como a Nintendo conseguiu criar algo que marcaria o mundo para sempre. Atualmente, o jogo original completa 35 anos de pura história.

Já agradeceu ao mestre Shigeru Miyamoto pela criação do Mario e o gênero plataforma que conhecemos hoje?

Ainda no NES…

Avançando vários anos na era dos videogames, onde passamos por Super Mario Bros. 2 do Famicom e a versão americana de Super Mario Bros. 2 (uma reskin de Yume Kojo Doki Doki Panic), pousamos então em 1988, onde outra obras primas mais populares da série,  o Super Mario Bros.3. Este, como o título já diz, é o terceiro jogo da franquia e segue como um dos melhores e mais divertidos criados até hoje.

Com visuais aprimorados em relação aos seus antecessores, Super Mario Bros. 3 introduz novos Power-up’s como o “Tanooki” e trazia novos inimigos e mecânicas para a franquia na sua época. Ele era belo como um espetáculo musical, e era exatamente isso que o jogo representa, uma história interpretada por Mario e seu irmão Luigi.

Tela inicial de Super Mario Bros. 3

Avançando no tempo…

Com nossa viagem temporal seguindo mais a frente, chegamos na era 16 bits, que já trazia um novo console de mesa da Nintendo, e muito provavelmente o mais amado entre a fãs da Nintendo. Era em 21 de novembro de 1990 que um dos consoles mais memoráveis do mundo chegava às prateleiras das lojas nos EUA,  este não era ninguém menos do que o famigerado Super Nintendo Entertainment System – ou Super Nintendo como foi apelidado aqui no Brasil.

Super Nintendo Entertainment System (versão europeia)

  • Memória de vídeo (Video RAM): 64 KB.
  • Resolução: 512 pixels x 448 pixels; 256 x 224.
  • Paleta de cores: 32768 (15-bit)
  • Número máximo de cores na tela: 256.
  • Tamanho máximo dos sprites: 128 x 128 pixels.
  • Número máximo de sprites na tela: 128 sprites.
  • O SNES Trabalhava com duas PPUs.
  • Mode 7

Enquanto a grande maioria desfrutavam do console e de seus excelentes jogos, foi só em 1994, junto com o NES, que o  Super Nintendo chegou ao mercado brasileiro, esta foi considerada a era de ouro dos videogames, onde muitos devem se lembrar da fervorosa rivalidade da Nintendo e SEGA, bem como ouvir nossos pais dizendo que estes consoles eram capazes de estragar a televisão, isso claro, se você vivenciou aqueles tempos.

Se você reclama do preço do Nintendo Switch hoje, a situação no passado não era nem um pouco diferente. Mesmo nos anos 90, os videogames não eram nem um pouco acessíveis no Brasil, e como estamos falando de outros tempos, um salário mínimo em 1996 era de R$ 112,00, enquanto um Super Nintendo poderia custar até R$ 360,00.

Bem, o Super Nintendo também possuia um grande jogo do bigodudo, o Super Mario World. O jogo que aprimorou tudo que vimos anteriormente e mostrou como se fazia um bom jogo de plataforma, cheio de segredos e muitas coisas para se explorar no Reino do Cogumelo.

Imagem da tela inicial do jogo.

Considerações finais

Super Mario World veio em conjunto com o Super Nintendo em seu lançamento original de 1990, ele vinha em um cartucho na mesma caixa do console, similar o que a SEGA fez com Sonic. Por isso, muitas pessoas sentem nostalgia por Super Mario World e até o consideram o melhor Mario 2D já feito. Por curiosidade, o jogo se tornou tão popular que a estimativa era que se conhecesse mais o próprio Mário do que o Mickey da Disney.

O jogo compunha o modo para dois jogadores e muitos segredos para desvendar em diversas fases, com o mesmo objetivo dos anteriores: salvar a Princesa Peach das mãos do maligno Bowser, em seu castelo. Assim, a série de jogos evoluiu até os dias de hoje , com os lançamentos mais recentes para o Nintendo Switch.

E assim se finaliza a nossa viagem temporal, onde passamos pelos jogos de destaque do Mario nos anos 80 e 90. Espero que tenham gostado, e até a próxima.

Ah! E devemos com certeza o nosso parabéns ao Mario pelos trinta e cinco anos completados este ano.

“Happy Mario B-Day!”

Guilherme Morando
Me siga 😀