Especial: Nintendo e sua jornada de 130 anos

Especial: Nintendo e sua jornada de 130 anos

03/01/2021 0 Por Guilherme Morando

Olá! Sejam todos bem-vindos, e hoje estou aqui para deseja-los um Feliz 2021. Que tal começarmos o ano fazendo um especial contando da forma mais resumida possível toda a trajetória da Nintendo até os dias de hoje? Muito se fala sobre a Nintendo e seus consoles antigos, mas aposto que muitas pessoas que leem e acompanham quadros como o próprio RetroBoy não conhecem sua história por completo. E bom, pensando nisso eis-me aqui novamente para esclarecer muitas outras dúvidas para vocês. Então vamos começar do começo, né?

O Início de tudo

Bom, a Nintendo é uma empresa japonesa (o que não é novidade ), e no Japão se tem muito a tradição de se passar os bens de pai para filho – e com a Nintendo não foi nada diferente. Era em 1889 que a empresa passava a existir. Sim há muito tempo. Fusajiro Yamauchi era o fundador, e seu nome tradicional era Nintendo Koppai.

Fusahiro Yamauchi(1859 – 1940)

O nome Nintendo por sua vez se traduz como “Deixe a sorte para os céus”, o que faz uma alusão a esta época o qual estamos falando, onde ela não era uma empresa de videogames e sim de brinquedos e baralhos. Se tratando do início do início, eles fabricavam baralhos. Mas no Japão era proibido fabricar-se baralhos, embora esta lei não se aplicasse a Nintendo, pois não fabricaram jogos de azar, e sim de algo parecido com “quebra-cabeças e jogo da memória”.

Baralho Hanafuda

O nome do baralho que a Nintendo fabricava se chamava Hanafuda, e ao longo dos anos se tornou um jogo competitivo. Depois de Fusajiro falecer e ter deixado a empresa para seu genro – já que ele não teve filhos homens – o genro coordenou a empresa por muitos anos ainda, seguindo o ramo dos baralhos. Em 1949 Hiroshi Yamauchi assumiu à liderança da Nintendo.

Em meados de 1963, a Nintendo passou a diversificar seus ramos de negócios, com Yamauchi tentando expandir os negócios aos EUA, até mesmo comprando alguns direitos de uso dos personagens da Disney para usar nos baralhos Hanafuda. A Nintendo também optou por novos meios de lucrar e nisso foi onde nasceu a companhia de taxis que se chamava Daiya, que seguiu com sucesso no início, mas infelizmente acabou por ser vendida futuramente. A Nintendo ainda investiu em redes moteis, uma rede de TV, até mesmo em arroz instantâneo, da para a acreditar? Parece que nem sempre a Nintendo optou por diversão em conjunto, e sim por algo mais restrito, não é mesmo?

Os primeiros passos do sucesso

Em 1966 a nossa querida Nintendo expandiu novamente seus horizontes, se tornou uma empresa de brinquedos com o lançamento do Ultra-hand – que era um braço extensível –  projetado por Gunpei Yokoi, onde logo foi promovido a desenvolvedor de produtos da empresa. Este nome foi responsável por icônicas criações como o Ultra-Machine, a franquia Light Gun Kousenjuu, o aparelho Love Tester, e mais tarde tendo trabalhado em hardwares de videogames que muitos de vocês já devem saber do que se trata.

Brinquedo

Apesar do último aparato citado ter sido o primeiro com componentes eletrônicos, foi a franquia de jogos Light Gun que deu o ponta-pé para o mundo dos games. Utilizando a tecnologia de jogos Light Gun, eles adentraram criando o Laser Clay Shooting System, que era instalado em pistas de boliche abandonadas. Os simuladores Light Gun tiveram sucesso. Outro dos produtos criados pela Nintendo foi o Wild Gunman, onde posteriormente havia sido portado para o verdadeiro primeiro console da Big N, o Nintendo Entertainment System.

Color Tv Game 6.

Contudo, este ramo com o tempo acabou em cair por custos altíssimos, mas a Nintendo já sabia exatamente qual caminho seguir depois disso. Em 1974 Hiroshi Yamauchi adquiriu para a empresa os direitos de distribuição de um primeiro console, o Color TV Game, onde este se obtinham quatro variações, e em cada uma delas era possível jogar um jogo diferente.

Foi também nesta época que Shigeru Miyamoto foi contratado, e era responsável por projetar corpos dos consoles. Sua estreia foi no Color TV-Game Racing 112. Um tempo depois Miyamoto ainda foi o designer do Donkey Kong lançado para os arcades. Com o sucesso do jogo e as oportunidades de licenciamento do Atari 2600, a empresa ganhou rentabilidade e visibilidade na indústria de videogames da época.

Foi em Donkey Kong que viria a nascer o eterno mascote da empresa, o nosso querido Mario. Mas sobre o jogo Donkey Kong o objetivo era claro, escalar as grades metálicas enquanto desvia dos barris arremessados pelo gorila que estava pertubando a vida de Pauline, uma donzela a qual cabia Mario salvar. Em 1979 foi desenvolvido por Yokoi um portátil que viria a ser o clássico, o famoso Game & Watch. A série de hardwares portáteis lançado foi a responsável pela criação dos botões onde hoje conhecemos como o D-PAD.

O primeiro console , só que de verdade.

Você concorda comigo que o Color TV Game não foi lá estas coisas para ser denominado um console, não é mesmo? Visto que seus quatro modelos juntos foram capazes de vender pouco mais de 4 milhões de unidades. Em 1983 no Japão foi projetado o Family Computer (Famicom), que chegou ao Ocidente sob o Nintendo Entertainment System, ou carinhosamente dito como NES – e que por algum motivo, ao chegar no Brasil anos depois, foi apelidado de Nintendinho.

Nintendo Entertainment System - Wikipedia
Nintendo Entertainment System

Em 1983 a Nintendo criou alguns laços com um desenvolvedor chamado Satoru Iwata, onde na época trabalhava na HAL Laboratory e havia executado um pequeno projeto em conjunto com a Big N. Entre os projetos desenvolvidos por Iwata estão a série Earthbound e Kirby. Alguns anos depois auxiliado por Hiroshi, Satoru Iwata veio assumir a presidência da Nintendo no Japão em 2002. Voltando novamente em 1988, Yokoi e sua equipe ainda acabaram por desenvolver o famoso Game Boy, que visava trazer a experiência definitiva de gaming para o modo portátil, ao contrário do Game & Watch. O portátil foi lançado em 1989 tanto no ocidente quanto no oriente, e no mesmo ano a empresa anunciou o Super Famicom, lançado em 1990 no Japão, 1991 nos EUA e na Europa em 1992. Apenas em 1994 o SNES adentrou os territórios nacionais, acompanhado do Game Boy.


O Super Famicom viria a disputar com o famoso Mega Drive (ou Genesis) da SEGA, e disputa essa que gerou algo conhecido hoje em dia como “console war”.

Super Famicom e Super Nintendo


Eu acredito que você conheça bem o NES e o Super Famicom, mas caso seja jovem o suficiente para não os conhecer, ambos eram consoles de mesa com hardwares poderosos para a sua época, porém limitados para a nossa atual realidade. Ambos também usufruiam de princípios de controles de videogame; sendo o NES utilizando da tecnologia do D-PAD introduzida no Game & Watch e dos botões de ação; no Super Famicom ainda foi adicionado os botões de ombro L e R, junto de mais dois botões de ação. Esta foi realmente a era de ouro dos videogames, onde foi popularizado o personagem Mario agora com seus jogos dedicados e introduzidos os jogos da série The Legend of Zelda, Metroid, entre outros.

Um console um tanto estranho

Virtual Boy acompanhado de seu controle.

Em 1993 a empresa já dava seus pulos para finalmente lançar o tão aguardado console de 64 bits, que posteriormente foi nomeado como Nintendo 64. Mas antes de ser lançado, o console fora adiado e lançado apenas no ano de 1996. Enquanto isso, em 1995, a Nintendo o substituiu com um console bem estranho, o Virtual Boy. O console trazia uma proposta bem diferente do que já viamos no mercado na época, trazendo novamente a jogatina portátil, só que com os primeiros gráficos tridimensionais, podemos dizer que foi um pontapé da empresa para a Realidade Virtual naquele tempo.

Eu nem preciso dizer que este trambolho foi o maior insucesso de vendas da história da Nintendo, não é? O console trazia uma proposta portátil, mas ele não funcionava se não apoiado em uma mesa. Ao todo, tivemos cerca de 21 títulos lançados no oriente, e 19 no ocidente. O que mais perturbava no console é o fato dele possuir estes bizarros gráficos bi-colores, onde ele seria apenas capaz de exibir vermelho e preto. Fora isso, não era possível jogar mais que quinze minutos, pois causava extremas náuseas. Podemos dizer que a Nintendo seguiu seu lema de inovar… só que com um pouco de excesso.

Mario Clash (1995)

As concorrências surgiram… e os gráficos 3D também!

Em 1996 finalmente o Nintendo 64 chegava ao mercado. Feito este que já havia acontecido para a sua recente rival, a Sony, que apostava tudo com sua estreia na indústria de videogames com o Playstation. Apesar do PlayStation ter chegado em 1994, e o Nintendo 64 só em 1996, o console da Nintendo não deixou de vender bem, e nem de ser outra era de ouro para a empresa e para os fãs da mesma. O console era mais potente que seus concorrentes, mas pecava na insistencia do uso de cartuchos, que limitavam o tamanho de armazenamento de um jogo e denegriam a qualidade de aúdio que era utilizada, enquanto as demais SEGA e Sony já estavam à frente com outra mídia.

Com a limitação do uso de cartuchos do Nintendo 64, a Sony saiu na frente com o PlayStation e seu uso dos CDs com maior capacidade de armazenamento. Assim, era muito mais fácil produzir um jogo para o PS do que para o N64, então você já sabe para onde grande partes das devs parceiras da Nintendo correram.

No entanto, a Nintendo não deixou de se consagrar com famosos e conhecidíssimos lançamentos como The Legend Of Zelda: Ocarina of Time e Super Mario 64, ambos revolucionários para a indústria na época e lembrados até hoje. Além disso, ele foi o portador de um controle com um formato inusitado. Afinal, qual a maneira correta de manuseá-lo?

Nintendo 64 acompanhado de seu controle

Mais concorrências, mais consoles!

Foi em 1998 que o Game Boy Color veio ao mercado, trazendo uma experiência com cores para a jogatina portátil. O Game Boy não emitia luz própria, por isso, não era possível jogar durante a noite, e a maioria do tempo que se jogava era na luz do sol. Por conta disso, surgiram alguns acessórios que melhorava a experiência do jogador, como este da imagem ao lado.

Gameboy Com assessórios Handy Boy

Foi no GameBoy que nasceu a franquia de RPG mais popular do mundo, Pokémon, além também de jogos como The Legend of Zelda: Link’s Awakening e The Legend of Zelda: Oracle of Seasons & Oracle of Ages foram lançados como continuação da série já aclamada. Em 2001 a Nintendo lançou a continuação do Game Boy com o Game Boy Advance, que trazia melhorias gráficas significativas em cima de seus antecessores se aproximando do hardware do SNES, mas ainda não emitia luz própria. Foi também em 2001 que o Nintendo lançava o sucessor do Nintendo 64, o GameCube, que chegaria ao mercado para concorrer com o PlayStation 2, o Dreamcast da SEGA, e o estreante Xbox da Microsoft.

Nintendo Gamecube

Embora tenha trago inúmeros jogos de qualidade e memoráveis, Infelizmente o GameCube falhou comercialment apesar de ter um hardware mais potente que o PlayStation 2, console este que dominou a geração. O GmeChbe trouxe títulos como The Legend of Zelda: The Wind Waker, The Legend of Zelda: Twilight Princess, Super Mario Sunshine, e muitos outros. Em 2003 a empresa deu seguimento à linha Game Boy lançando o Game Boy Advance SP , uma revisão do Game Boy Advanve com design alterado e desta vez emitia luz interna.

A Nintendo que conhecemos hoje

Foi a partir da era GameCube que a Nintendo notou que seu forte com certeza não era potência, e sim inovação. Inovação no sentido de diversão em conjunto, de trazer sempre uma experiência mais imersiva, mesmo que fosse necessário sacrificar poder para isto. A primeira onda de inovações foi com o lançamento do Nintendo DS, em 2004, o sucessor do Game Boy Advence que fazia uso de duas telas para a jogatina, sendo uma sensível ao toque por meio de uma caneta chamada Stylus. Como muitos já sabem, o Nintendo DS foi um sucesso de vendas, colondo nas vendas do PlayStation 2 e se tornando o portátil mais vendido da história.

O sucesso do Nintendo DS veio acompanhado de excelentíssimos jogos como a continuação dos jogos 2D do bigodudo com New Super Mario Bros., as novas experiências de The Legend of Zelda com The Legend of Zelda: Phantom Hourglass e Spirit Tracks, e jogos casuais como Brain Age e Nintendogs. O console teve algumas revisões o Nintendo DS Lite em 2006, que tinha uma tela mais resistente e uma bateria mais duradoura, o Nintendo DSi que incluia uma câmera e outras novas features, e o Nintendo DSi XL que era um console ainda mais que o tradicional DSi.

Nintendo DS Lite 256kB preto | Mercado Livre
Nintendo DS Lite

Em 2005 , a Nintendo inaugurou sua primeira(e unica) loja física no mundo , a chamada na época de Nintendo World Store , em New York. Esta loja viria a ser chamada de Nintendo New York em 2016.

Ao lado do Nintendo DS, a Nintendo trazia seu mais movo console de mesa, com o Nintendo Wii, console este que rivalizava com o PlayStation 3 e Xbox 360. Enquanto suas rivais investiam em potência gráfica, a Nintendo deixou isso de lado não adentrando na era HD, porém compensando isso com muito inovação com controles de movimentos. O Wii era um divertidíssimo console que trazia não só uma nova maneira de jogar videogame mas também era o console que introduzia videogames a um público novo, fazendo assim a Nintendo navegar ao que conhecemos como o Oceano Azul.

A nova experiência com o Wii Remote possibilitava muita imersão nos jogos, como por exemplo em The Legend of Zelda: Skyward Sword onde você controlava a espada ao chaqualhar o controle como se tivesse de fato dando uma espadada. O controle do Wii foi com certeza o mais diferente da empresa, e ele era divido em duas partes: o Nunchuk que possuia o analógico e um botão Z, e o Wii Remote que era sensível a movimento.

Confira as maiores curiosidades e polêmicas sobre o Nintendo Wii | Notícias  | TechTudo
Wii acompanhado do Wii Remote

O Sucessor do DS

Em 2011 a companhia ainda lançou o Nintendo 3DS , que em aparencia se assemelhava ao DS, mas tinha gráficos tridimensionais que saltavam para fora da tela com a tecnologia de efeito 3D como nos cinemas, porém sem uso de óculos. Outro fator presente no 3DS é a retro-compatibilidade com oNintendo DS, por meio de cartuchos. O Nintendo 3DS ainda teve também o Virtual Console que era possível se comprar e re-jogar os clássicos dos antigos consoles da Big N.

Nintendo 3DS, 3DS XL ou New 3DS? Veja qual é a melhor versão do portátil |  Notícias | TechTudo
Primeiro modelo de Nintendo 3DS

E assim como os portáteis anteriores da Nintendo, o Nintendo 3DS teve várias revisões como o Nintendo 3DS XL, o Nintendo 2DS que não tinha o efeito 3D, e a linha de modelos New que trazia uma melhoria do hardware e adicionando um pequeno touchpad para o ajuste de câmera noa jogos e botões de ombros adicionais.

3DS - QUAIS AS DIFERENÇAS ENTRE TODOS OS MODELOS? || Duca Show - YouTube
Todos os modelos de Nintendo 3DS.

Embora tenha vendido menos que seus antecessores, o Nintendo 3DS ainda foi um sucesso de vendas em meio a popularidade dos recém chegados smartphones, que competiam diretamente no mercado de portáteis. O console aonda teve títulos incríveis como Super Mario 3D Land, Pokémon Sun / Moon, Pokémon X / Y , The Legend of Zelda: A Link Between Worlds , e os remakes de Ocarina of Time e Majora’s Mask.

A primeira tentativa de um sistema híbrido

Fazendo par com o Nintendo 3DS, em 2013 a Nintendo lançava Wii U. Este console era o sucessor do Wii e tinha uma proposta de poder jogar também em partatil a partir de seu controle com uma tela embutida, porém dentro de casa apenas. Além de trazer a novidades como visuais em HD pela primeira vez, o Wii U foi um console controverso que não teve um bom marketing com muitas pessoas o confundindo como uma extensão do wii, fora que não teve bom uso de suas tecnologias exclusivas, onde no fim resultou em um fracasso comercial. 

Wii U | Nintendo
Nintendo WiiU

Embora o público não tenha entendido a proposta do console, ele ainda foi sustentado com ótimos jogos como Super Mario 3D World, Mario Kart 8, Super Smash Bros., e o aclamado The Legend of Zelda Breath of the Wild. O Wii U foi descontinuado em 2017, dando lugar a um console que traria a Nintendo de volta aos holofotes após uma geração sendo ignorada pela indústria.

A Nintendo atual

Nintendo Switch 32GB 1 Controle Joy-Con - Vermelho e Azul - Console Nintendo  Switch - Magazine Luiza
Nintendo Switch

Em 2017 a Nintendo lançou o Nintendo Switch, o console que vingaria o fracasso de seu antecessor com uma proposta híbrido como o Wii U, porém funcional e conveniente.

O quesito inovação do Nintendo Switch, além do híbrido são seus controles, conhecido como Joy-Con, que são na verdade uma evolução natural do Wii Remote. Os Joy-Con podem ser acoplados ao tablet , ou destacados , enquanto o console está numa Dock reproduzindo a imagem na TV. Ao dividir o par e virar um Joy-Con na horizontal é possível com que dois jogadores entrem na diversão.

Posteriormente ainda, foi lançado o Nintendo Switch Lite, que é o mesmo hardware porém preso somente ao portátil. Uu seja, ele não alterna entre TV e portátil. O Nintendo Switch Lite veio como uma proposta mais barata para atender aqueles que jogam somente em portáteis.

Em relação aps jogos, a família Nintendo Switch ainda enainga ótimas ofertas como Super Mario Odyssey, Pokémon Sword/Shield, Super Smash Bros. Ultimate, Xenoblade Chronicles 2, Animal Crossing: New Horizons, e o catálogo de jogos de Wii U com melhorias como Mario Kart 8 Deluxe, The Legend of Zelda Breath of the Wild, Pikmin 3 Deluxe, Donkey Kong Country Tropical Freezy, entre outros.

Espero que tenham gostado! Bom, essa foi uma história muito longa de se contar,  e tentei abordar tudo de forma mais resumida possível. Nas aposto que foi muito legal conhecer todas algumas curiosidades e revisitar o passado obscuro da nossa querida empresa de jogos.

Guilherme Morando
Me siga 😀