Review | Nine Witches: Family Disruption

Review | Nine Witches: Family Disruption

08/12/2020 0 Por Guilherme Morando

Desenvolvedora: Indiesruption
Publicadora: Blowfish Studios
Data de lançamento: 4 de Dezembro , 2020
Preço: $19,99

Alguma vez você já jogou algum jogo onde o objetivo é a exploração e coleta de objetos para resolver os mistérios de um lugar? Nine Witches: Family Desruption vai desta premissa, porém de forma aprimorada. O jogo consegue misturar aspectos de exploração e inseri-los dentro de um mistério paranormal em eventos da Segunda Guerra Mundial. Desenvolvido pelo estúdio independente Indiesruption e publicado pela Blowfish Studios, Nine Witchers: Family Desruption é uma aventura narrativa em pixel art com bastante charme e identidade.

Jogabilidade

Embora estejamos falando de um jogo com foco na narrativa, ele lhe oferece um misto de exploração, quebra-cabeças, e até mesmo um inusitado “sistema de combate” – Akiro, o personagem principal, saca sua pistola e a usa contra os soldados alemães, bem como algumas outras criaturas que vieram por conta de um fenômeno que aconteceu.



Falando em específico do sistema de combate, a verdade é que ele pode ser facilmente burlado. Ao morrer, você vai para o inferno, onde é possível vender sua alma ao satanás em troca dele sempre aparecer nos combates para ajudar. Isso faz com que FACILMENTE, – e é sério, facilmente – você faça com que muitas batalhas contra Boss (se é que posso chamar assim) sejam vencidas em alguns segundo. Basicamente, o combate funciona apertando o botão “B” em cenas chaves – embora pouquíssimas vezes seja utilizado, mas quando aparece o processo pode ser bem desafiador. Enquanto você se movimenta pelo cenário é necessário desviar dos ataques dos inimigos pressionando o botão indicado. Quando os tiros acertam de perto, não se tem a mesma eficácia que acertando de longe.

Entre outras mecânicas, você pode se movimentar no jogo pela área utilizando o D-Pad ou o analógico. A partir deste meio entram a resolução de quebra-cabeças e é também possível enviar tiros na direção do inimigo. Outro sistema dentro do jogo é a projeção astral do professor, onde ao trocar de personagem é possível utilizar um botão de comando para que o professor retire seu espirito de dentro de seu corpo. Ao fazer isso, o professor finalmente pode mexer seus braços e pernas, além de flutuar e poder atravessar portas. A Projeção Astral também poder influenciar a cabeça dos mente vazia, pois aqueles que ficam com pensamentos em vento podem ser possuídos pelo espírito do professor, assim realizando certas ações sugeridas. O professor, ainda em sua forma astral, pode emitir ondas de sinais para sentir a energia de objetos pelo chão. Essa é uma mecânica que facilita muito o jogo, mas lembre-se de ir em cada sala sempre que usar esta funcionalidade.

Enredo

O jogo se passa em meados de 1944 na Segunda Guerra Mundial durante uma invasão alemã em uma cidade chamada Sundae. A cidade era famosa por conter um tipo de peixe deliciosíssimo. Um grupo então faz um ritual paranormal a fim de que algo muito ruim decaia sobre o mundo inteiro.

Pessoalmente achei uma história deveras interessante. Investigar tudo e ir passando pelas cavernas até encontrar todos os itens necessários, bem como sair do planeta pousando na lua para resolver os problemas de um certo alienígena é simplesmente fantástico. E o tom cômico que ele dá para os generais, faz com que a história do jogo, que por mais que as vezes passe uma atmosfera horripilante, ela seja totalmente quebrada com uma piada. E de forma alguma trato isso como um aspecto negativo

Considerações finais

Nine Witches: Family Disruption é um excelente jogo dentro do que se propõe. A criatividade utilizada em cada local, os personagens, tudo faz com que ele seja uma ótima experiência. Pode ser que caso você nunca tenha jogado jogos do gênero ele possa parecer um pouco difícil, ou até mesmo cansativo. Para estes casos eu realmente recomendo um guia. O recurso de projeção astral facilita bastante para seguir alguns objetivos. É importante sempre em cada sala usar está habilidade para saber se não há nada para explorar no local.

Tenho que pontuar também que os visuais em pixel art de Nine Witchers foram um dos maiores charmes do jogo – pessoalmente, eu não visualizo um jogo desse em uma dimensão tridimensional. Além disso, devemos elogiar e apreciar o fato dele estar disponível totalmente traduzido para português tupiniquim! Diversos diálogos foram muito bem adaptados e muitas piadas feitas no jogo original não se perderam. Também quero aproveitar para elogiar a trilha sonora deste jogo. Eu diria que é uma trilha das melhores que já ouvi. Ela sabe muito bem a hora certa de por uma intensidade, e a hora de se colocar uma música mais calma.

O único defeito que eu diria é o tamanho do jogo. Eu joguei ele inteiro em seis horas seguidas. Quem sabe poderiam ter algumas side quests, já que as presentes dentro do jogo são pouquíssimas e acho que nem podemos chama-las “side quest”, já que as mesmas se interligam com a missão principal.

Por fim, esteja preparado para rir muito e se divertir com as cenas cômicas, além dos lugares inusitados em que irá achar certos… convites?!

Nota: 8 / 10

1 – Melhor vomitar do que jogar isso.
2 – Só se você quiser muito mesmo testar o jogo.
3 – Vai fazer outra coisa.
4 – Dá pra jogar no banheiro ou esperando o dentista.
5 – Só jogue se você for MUITO fã mesmo…
6 – Jogo legal pra se divertir e se distrair.
7 – Jogo divertido, mas não é nenhuma obra de arte.
8 – Jogo bom, vale bem seu tempo e dinheiro!
9 – Jogo excelente que vai deixar uma marca em você!
10 – Jogo obrigatório!

Cópia do jogo da análise fornecida gentilmente pela Blowfish Studios.

Guilherme Morando
Me siga 😀