Review | The Skylia Prophecy

Review | The Skylia Prophecy

30/04/2021 0 Por Paulo Cézar

Desenvolvedora: ER Media
Publicadora: 7 Raven Studios
Data de lançamento: 23 de abril de 2021
Preço: R$ 35,65
Formato: Digital

Análise feita com chave fornecida gentilmente pela 7 Raven Studios.

Na última década, a indústria de videogames viu diversas franquias tidas como clássicas serem simplesmente abandonadas ou esquecidas por suas respectivas desenvolvedoras. Por outro lado a indústria de jogos independentes, de certa forma, assumiu para si a responsabilidade de suprir o mercado e acabar com estes vazios deixados por estas grandes empresas, sejam com inúmeros jogos com uma estética retrô, sucessores espirituais ou até com os seus inúmeros metroidvanias.

The Skylia Prophecy é exatamente o que aparenta ser, um clássico plataformer 2D com fortes inspirações em Castlevania, sejam estas na sua jogabilidade ou em seus visuais. No entanto, apesar de inúmeras semelhanças o jogo passa longe do polimento e da qualidade dos clássicos, problemas que citaremos nessa review.

Fórmula clássica com alguns extras

O jogo conta a história de Mirenia, uma garota de 18 anos, que, aparentemente, liberou um grande poder maligno quando era mais nova. O jogo se passa em mais um mundo de fantasia medieval como todos os outros, sem nada que difira seu mundo dos outros inúmeros mundos semelhantes que já vimos em diversos tipos de mídia.

É válido esclarecer que The Skylia Prophecy não é só um clone de Castlevania, possuindo sua identidade e sistemas únicos, o jogo conta com até alguns elementos de RPG, que é como o jogo se descreve. O jogo possui algumas algumas habilidades especiais desbloqueáveis ao decorrer da campanha, que são necessárias para a progressão do mesma, porém nenhuma que chama a atenção de maneira particular.

Também é válido citar o extremamente frustrante sistema de checkpoints do jogo, que literalmente te leva ao menu principal toda vez que você zera sua vida, obrigando o jogador a carregar seu último save recomendando na última estátua que seu checkpoint foi marcado.

A parte visual talvez seja o ponto mais forte do jogo, com belas pixels arts que chamam bastante atenção, porém o jogo comete erros básicos, como o mostrado acima, em alguns momentos as diferentes salas de determinadas regiões são tão parecidas que é difícil de diferenciar-las, apesar de ser um erro comum em jogos da era do NES – na qual o jogo se inspira – isso acontecia por limitações de hardware, coisa que definitivamente esse jogo não aparenta ter.

Conclusão

The Skylia Prophecy é um jogo frustrante, não por sua dificuldade ligeiramente elevada, e sim por sua falta de polimento geral e falta de elementos únicos, o que não seria necessariamente um problema, se estes mesmos elementos fossem excepcionalmente executados, coisa que definitivamente não são. Se você é uma fã de Castlevania ou outros plataformers 2D semelhantes com certeza existem melhores alternativas na eShop do Nintendo Switch.

Prós:

  • Boa direção artística

Contras:

  • Falta de polimento geral
  • Mecânicas desnecessariamente frustrantes

Nota Final

6

Últimos posts por Paulo Cézar (exibir todos)