Review | Azur Lane: Crosswave

Review | Azur Lane: Crosswave

13/02/2021 1 Por Erick Antunes

Desenvolvedora: Felistella, Compile Heart
Publicadora: Idea Factory International
Data de Lançamento: 16 de fevereiro de 2021
Preço: US $49,99

Foi em 2013 que Kentai Collection nos apresentou a abordagem de misturar jovens garotas personificadas com navios de guerra da Segunda Guerra Mundial. A temática caiu tão bem entre os japoneses que KanColle rapidamente se tornou uma franquia multimídia japonesa bem-sucedida com empresas explorando diversos meios de apresentá-lo a um público mais amplo como em jogos para console, anime e diversos merchandising. Azur Lane, por sua vez, chega anos depois partindo desta mesma premissa senda uma variação chinesa que conseguiu executar tão bem a ideia de KanColle que não duvido que haja discussões entre os fãs para saber qual é o melhor.

Azur Lane nasceu em 2017 a partir de um gacha game para smartphones que mistura RPG com Shoot ‘em up. Já Azur Lane: Crosswave, o jogo que irei analisar aqui, é um shooter 3D desenvolvido pela Felistella – a desenvolvedora da série Summon Night – em parceria com a Compile Heart, a desenvolvedora japonesa responsável por populares lewd games como Neptunia, Moero Chronicle e Moero Crystal.

Em Azur Lane: Crosswave iremos revisitar o universo de Azur Lane nas aventuras e batalhas entre as quatro alianças das garotas navios em uma história spin-off do jogo gacha principal. A versão que estarei analisando é a que sairá no Nintendo Switch em breve, versão esta que diferentemente do PC e PS4, já inclui as personagens de DLC Taihou e Formidable para jogar desde o início da campanha, além também de um Photo Mode aprimorado que irei citar aqui.

Desde já eu tenho que dizer que Azur Lane: Crosswave foi feito principalmente para quem já conhece o mundo de Azur Lane, seja através do Gacha ou do anime. Aqui muitos personagens aparecem sem ter uma apresentação (até mesmo os mais famosos como a Enterprise e Prinz Eugen), dificultando asssim o entendimento da lore de quem nunca jogou o jogo principal. Claro que isso não impede que um marinheiro de primeira viagem possa experimentar Crosswave como um convite para o gacha game, porém o mais recomendado é você ter um conhecimento sobre a franquia Azur Lane.

Treinamento para Kansens e uma nova aventura no mundo de Azur Lane

Alistadas no Império Sakura, Shimakaze e Suruga são novatas em ser Kansens (o nome mais específico para as garotas navio), por isso elas estão fazendo exercícios de treinamento em dupla uma com a outra, isso juntas com outras Kansen, personagens já conhecidas dá série. As duas, que serão os personagens centrais do jogo, partem no oceano para treinamento de batalhas mas que infelizmente acabam por dar de cara com as Sirens, inimigos já conhecido do jogo principal. O jogo então começa de verdade com Shimakaze e Suruga travando uma batalha naval com as Sirens. Após a batalha, Shimakaze e Suruga, sem entender oque as Sirens estão fazendo naquela parte do oceano voltam para o local de ínicio do treinamento para falar com suas superiores Takao e Atago para descobrir o objetivo do inimigo. A partir daí, a história de Azur Lane: Crosswave segue seu desenvolvimento.

Embora o estilo de jogabilidade Crosswave seja aplicado em um shooter de ação, a história dele é contada através de diálogos com os modelos dos personagens na tela e a caixa de texto passando embaixo. A narrativa de Crosswave se desenvolve bem lentamente do inicio até chegar o climax final em um modo história de 6 capítulos que pode ser terminado entre 8 e 10 horas. Para aqueles que gostaram mais da parte de ação, isso pode ser cansativo, pois a história alterna entre os exercícios das Kansen e a narrativa principal. Eu tenho a necessidade de dizer que, além do modo história, podemos ver também os episódios específicos das personagens em sí, o que na maioria conta apenas a vida cotidiana das meninas – fora que as introduções delas são deixadas de lado porque o jogo acredita que se você está jogando Crosswave, provavelmte jogou o gacha

Jogabilidade de Shooter 3D em meio ao oceano

Para o jogo gacha até o Crosswave, a mudança do 2D para o 3D foi um dos pontos altos do jogo inteiro, a gameplay de Crosswave te obriga a nunca ficar parado pois os tiros aparecem de todos os lados mirando em você, então é preciso atirar todas as suas balas em aeronaves, barcos e návios aparecendo no mapa.

O jogador pode livremente comprar, mudar e melhorar os atributos das personagens e suas armas dependendo de sua classe no menu, sem contar o quão diverso é o elenco das personagens que você pode usar na gameplay, das lentas até as rápidas, das munições leves até das pesadas, a gameplay pode mudar dependendo de qual garota você vai usar no jogo. Além disso, existe o Extreme Mode, um modo onde você luta contra personagens já determinadas para cada fase e uma dificuldade aumentando gradualmente conforme o passar das fases

O lado negativo de tudo isso é que por mais que a gameplay seja dinâmica e rápida, tudo isso se torna repetitivo com o tempo, os mesmos inimigos aparecem a cada fase, e a dificuldade só é elevada depois de um longo tempo quando você procede nos capítulos seguintes, fazendo o caminho do jogo ser cansativo.

O Photo Mode perfeitamente aprimorado

Em paralelo ao modo história, Azur Lane: Crosswave oferece atividades extras para o jogador que já terminou a campanha principal e quer se distrair. Aqui vai um modo que provavelmente vai ser a felicidade de muitos fãs de Azur Lane, o Photo Mode.

Como o próprio nome sugere, o Photo Mode nada mais é do que um ambiente em que você pode adicionar as personagens que você tem comprado no jogo para tirar screenshots delas fazendo poses, e mudando a expressão de seus rostos. Esse modo só é liberado depois de passar um certo tempo jogando o modo história onde nesse tempo você já tem bastante personagens que podem ser utilizadas nesse modo. Como mencionado pela Idea Factory, o Photo Mode do Nintendo Switch é uma versão aprimorada, e aparentemente exclusiva, que adiciona mais ângulos e posições adicionais dando uma liberdade criativa ainda maior ao jogador.

O Photo Mode de Azur Lane: Crosswave é um dos pontos altos do jogo, já que na gameplay em si não temos tempo para observar nossos personagens devido a jogabilidade rápida e por isso passa batido sem a gente ver o quão bonito são os seus designs feitos na UE4. Note-se um capricho na modelagem 3D das garotas e nas naves nas costas delas, e vale a pena entrar nesse modo na inôcencia só para ver elas de vez em quando.

Um bom jogo para quem ama Azur Lane, mas apenas para eles

Azur Lane: Crosswave é um ótimo spin-off da série para os amantes de sua versão original de smartphones, embora para quem é leigo e deseja começar por este pode comprometer sua experiência já que mundo não vai ter tanto peso em comparação aos que já são habitudos. No entanto, a gameplay é divertida para quem quer jogar casualmente de vez em quando, o shooter funciona muito bem é incrível, mas em parte peca em ser repetitivo e ter os mesmos cenários diversas. Além disso, a história não é tão longa tendo a duração total de 10 horas (prolongando ainda mais se fizer os episódios das outras personagens).

O modelo 3D das meninas e seus respectivos designs é rico em detalhes sendo um dos pontos mais bem feitos de todo o jogo e aumentando o número de personagens com as DLC, as OSTs do jogo são bem feitas também aumentando a qualidade conforme a história avança. Pessoalmente eu recomendaria o jogo para quem quer se divertir casualmente, em um jogo curto como esse posso dizer que a experiência foi divertida, mas recomendo fortemente se você já é um grande fã de Azur Lane.

Avaliação

Prós:

• Jogabilidade rápida e dinâmica
• Uso da UE4 bem aplicado nos modelos 3D, além dos designs das personagens serem realmente lindos; Elenco diversificado
• Photo Mode com diversas opções para se divertir

Contras:

• Gameplay repetitiva conforme progride, fazendo o jogo se tornar cansativo
• Falta desafio no modo História
• Certamente não é um bom ponto de partida para iniciantes no universo de Azur Lane

6

Erick Antunes