[Review] Projection: First Light

[Review] Projection: First Light

29/09/2020 0 Por Thomas Mertens

Desenvolvedora: Shadowplay Studios
Publicadora: Blowfish Studios
Gênero: Aventura, Plataforma, Puzzle
Data de lançamento: 29 de Setembro, 2020
Preço: U$15,99
Formato: Digital

Projection: First Light conta a história de Greta, uma garotinha que vive num mundo de fantoches de sombras. Depois de um dia ruim, ela foge de casa e descobre um mundo novo, viajando por diversas culturas antigas em uma jornada cheia de magia, luz e sobra.

Narrativa sem falas

Em Projection, não temos palavras em momento nenhum, todo o jogo é transmitido pela linguagem visual. Não só a narrativa, mas também os objetivos de um cenário. Como é um jogo mais artístico, foi uma ideia interessante que ficou bem executada.

Ao longo do jogo, os cenários mudam, passamos por Indonesia, China, Turquia, Grécia e Inglaterra do século 19. Cada país conta uma parte da história, lembrando que o estilo de arte é tradicional de regiões orientais, como falaremos a seguir. Contamos com a ajuda de uma Luz que nos ajudas a vencer os obstáculos, brincando com as sombras para transforma-las em plataformas e paredes.

Gráficos e Sons

Os gráficos são lindos. A arte é magnífica. Muito bem trabalhado e traduzindo muito bem a antiga arte de marionetes de papel, comuns da cultura oriental do teatro de sombras. O cenário aparecendo quando é necessário, e sumindo quando o deixamos para trás, sendo puxado para cima e para baixo, traz muito a sensação de estarmos sim assistindo a uma apresentação.
Cada personagem parece recortado do papel, e não temos um boneco 3d em um mundo 2D. Realmente tudo é 2D, os personagens tem o lado da frente e o de trás e é isso.

A música também é agradável, tocada em instrumentos antigos, mais uma vez agregando para a imersão no teatro de sombras. Mas não posso dizer o mesmo dos efeitos sonoros. Eles são bastante irritantes na verdade, especialmente os sons que a Luz faz ao se mexer e ao parar. Não são sons ruins ou fora de tom, agudos etc, mas se repetem tanto desnecessariamente que acaba sendo irritante.

Jogabilidade

O conceito do jogo é bem interessante. Esse jogo de luz e sombras é bem bonito e simbólico. Greta controla a Luz e a posiciona com o analógico direito para que os obstáculos na cena projetem sombras que se tornam a solução do puzzle. Seja fazer uma plataforma te levar pra cima, ou uma simples ponte.

Realmente é uma ideia bem interessante, gostei muito das interações que isso poderia gerar… Poderia. Infelizmente o jogo não é muito jogável. Pouco responsivos, pouco acertivos. Isso atrelado ao fato de colocar uma rampa de sombra torta, ou uma esfera um pouco maior do que devia pode literalmente impedir você te fazer qualquer outra ação, e desfazer o movimento resulta na sua morte.

Além disso, o pulo de Greta é tão baixo, que o jogo te força a usar essa mecânica em qualquer degrau. Mas carregar coisas e interagir com o cenário é bem legal.

Avaliação

Para mim, Projection: First Light é um jogo que entrega apenas conceito: muito bonito, com ideias interessantes, mas que é um teste de paciência.
O jogo não entrega conteúdo de forma estável. Cada cena com alguma coisa de história está a pelo menos meia hora de jogo, e geralmente é uma cena super curta que quase não agrega a narrativa.

É um jogo de puzzle que na verdade não testa sua inteligência ou criatividade. Os desafios são fáceis de entender como solucionar, mas são muito chatos de faze-los. O desafio na verdade é vencer os controles. Um movimento errado pode te fazer reiniciar toda a dor de cabeça…

Mas, se você é uma pessoa que gosta desse ritmo mais lento, talvez um fã de filmes franceses, quer algo bonito de ver e tem bastante paciência ou capacidade de não se frustrar, pode ir que você vai gostar sim.

Avaliação: 4.5 / 10

1 – Melhor vomitar do que jogar isso.
2 – Só se você quiser muito mesmo testar o jogo.
3 – Vai fazer outra coisa.
4 – Dá pra jogar no banheiro ou esperando o dentista.
5 – Só jogue se você for MUITO fã mesmo…
6 – Jogo legal pra se divertir e se distrair.
7 – Jogo divertido, mas não é nenhuma obra de arte.
8 – Jogo bom, vale bem seu tempo e dinheiro!
9 – Jogo excelente que vai deixar uma marca em você!
10 – Jogo obrigatório!